Todo óleo de coco é igual?

drops__0009--post.png

Você já deve ter esbarrado no hype do óleo de coco por aí, né?

O troço faz bem mesmo e você ainda vai me ver falar muito dele, assim como das outras gorduras do bem.

Ele é termogênico, possui propriedades antibacterianas, ajuda muito no desempenho cognitivo e energia celular.

Mas o que quero ressaltar nesse post é que nem todos os óleos de coco são iguais e, dependendo da composição, podem ter desempenhos bem diferentes.

As gorduras que compõe o óleo de coco são classificadas pelo tamanho das cadeias das suas moléculas e recebem nomes esquisitos junto com números.

Podemos dizer que quanto menores forem essas cadeias, mais rapidamente a gordura é absorvida e se transforma em energia no corpo.

Por aqui, uso 3 tipos de óleo de coco, todos com qualidade semelhante, mas com composição bem distinta.

Óleo de coco tradicional

Aquele que encontramos mais facilmente nas lojas naturebas. É composto primordialmente por cerca de 9% de ácido caprílico (C8), 10% de ácido cáprico (C10) e 52% de ácido láurico (C12). Uso-o basicamente para cozinhar e grelhar alimentos.

Óleo TCM (MCT oil)

Triglicerídeos de cadeia média. A proporção dele é geralmente de 60% de C8 e 40% de C10. Utilizo para temperar e realçar o sabor de saladas e em alguns shakes.

Brain octane

Esse último é a marca de um óleo ultra concentrado de coco. É puro C8 e seu efeito é quase imediato. Minha escolha quando quero aumentar rapidamente minha energia, foco e clareza mental. Além disso, é ingrediente do café mais hipster de todos: o tal bulletproof coffee (veja a receita aqui).


Uma dica final é: comece com doses bem pequenas destes óleos (uma colher de chá por dia, no máximo). Deixe seu corpo se habituar e só então incremente a quantidade. Senão, além de uma possível moleza mental (brain fog), você poderá ter que resolver algumas questões no banheiro.